terça-feira, 19 de julho de 2011

Amor em gesto




Há os que se aproximam de mim,

Querendo oferecer a vida.

Dizem tão rapidamente: Sim!

Oferecem um amor sem medida.


Há os que se aproximam do altar,

chorando e declarando amor!

Dizem que sempre vão me amar:

tanto na alegria quanto na dor.


Há os que fazem promessas,

juras de amor eterno!

Comportam-se como profetas,

soldados e inimigos do Inferno.


Acho que você não me conhece.

Desagrada-me sua ganância espiritual.

Eu sei que é grande a Messe,

mas não será assim que vencerá o Mal!


Você é vaso, feito de barro,

limitado, pecador e miserável.

É através dos pequeninos e fracos,

que me mostro tão admirável.


Eu sou humilde de coração!

Só quero que veja os cachos de uva,

a romã, o leite e mel, a salvação.

Que sua oferta seja qual da viúva.


Ela só teve um pequeno gesto:

Doar dois leptos em silêncio total,

o que pra muitos era um resto,

pra mim foi Amor Devocional!



Gil 19/07/2011

Um comentário:

  1. Muito bom os seus poemas,vc é muito talentoso!Parabéns.

    ResponderExcluir