quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O menino e o velho



O menino e o velho

O menino caminhou ao deserto
em busca da paz;
não tinha rumo certo,
até então encontrar um velho sagaz.

Que do poço lhe ofereceu a água,
que da água ofereceu a esperança:
pra curar as suas mágoas,
e torná-lo uma eterna criança.

Ainda em um tom apertinente
tirou seu chapéu,
perguntou-lhe humildemente
em que direção ficava o céu:

“O caminho é o ativismo
ou a passividade da oração;
ou são um mesmo mecanismo
em uma mesma direção?”

O menino olhou o itinerário
e não obteve a resposta.
O céu pra ele era um cenário
E indignado lhe deu as costas.

O velho então berrou:
“Menino o que pensas encontrar?
O vento sopra para onde vou,
se tu caminhas, aonde vais chegar?

Olha pra ti próprio
O reflexo do teu eu,
enxergarás o teu opróbrio
e tua condição de plebeu.

O céu é um estado espiritual
e só o amor poderá te eternizar.
O Eterno nos deixou este único sinal
não há caminho e nem lugar.”

O menino então compreendeu
que o céu estava no seu interior,
ali habita Deus
num compromisso de amor.

O menino deste poço a água bebeu.
Eterna criança, ele se tornou.
O seu espírito rejuvenesceu.
Ao aceitar o velho, a paz encontrou.

Gil 07/07/92

Um comentário:

  1. O MENINO ENTÃO COMPREENDEU QUE O CÉU ESTAVA NO SEU INTERIOR........

    ResponderExcluir