sexta-feira, 10 de março de 2017

Amor de mãe

No céu houve uma reunião,
Deus, ao anjo delegou uma missão:
ir à terra com uma procuração,
encontrar uma criatura de bom coração.

O anjo então pediu a Deus:
“que diretriz seguirei eu?”
As normas, o Bom Deus leu,
presta atenção anjo Romeu.

Em todas as criaturas,
encontre uma com espírito de candura,
traços de ternura
um amor que perdura.

Seja alguém próximo ao divino,
que ame mesmo no desatino,
doar seja seu hino
gerar vida seja seu destino.

Que perdoe, mesmo no desprezo.
Viver pelo outro seja seu desejo.
Que troque choros por beijos,
ao amor e doação não seja avesso.

Enfim, faça do seu sacrifício um louvor,
da vocação um eterno amor.
Seja forte durante a dor
e ame mesmo quando não deem valor.

O anjo partiu sem alegria,
pois esta missão fácil não seria.
Por todos os cantos e todo dia,
ele procurava alguém como Maria.

O destino atravessou seu caminho,
diante do anjo lá estava um menininho,
aos berros e totalmente sozinho.
Seu nome era Dinho.

Menino, por que tanta chora?
Perguntou o anjo, sem demora.
“Perdi minha mãe já faz horas
e não a encontrei até agora”.

O anjo solidário procurou por ela.
O menino explicou as características dela:
“É a mãe mais doce, a mais bela,
a mais perfeita; seu nome é Gabriela.

O anjo lhe trouxe as mulheres mais formosas,
as mais bonitas e as mais carinhosas.
Algumas superavam a beleza das rosas,
porém recusou-as o menino sem muita prosa.

Foi quando de repente,
surgiu uma mulher a sua frente,
era franzina, sofrida e sem dente.
“Mamãe”, gritou o menino contente.

O anjo aliviado soltou um sorriso,
a sua missão ultrapassava qualquer juízo.
Retornou então ao paraíso,
a Deus logo foi dado o aviso.

Meu Deus, cumpri minha missão,
falou o anjo cheio de convicção.
A criatura mais próxima do teu coração
é feminina, forte, pura paixão.

Senhor, tu que sois eterno,
cujo amor é materno e paterno,
Na terra, mais próximo do teu amor terno
é sem dúvida o amor materno.

Deus, as mães, abençoou.
A humanidade, em suas mãos, entregou.
Entre todas as criaturas, mais sagrada, a tornou.
Através da mãe (mulher), os homens, salvou.

Inspirada em um programa da Vila Sésamo - escrevi em 2007 e adaptei.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Só sorriso

Meu carro é antigo
Meu guarda-roupa é “de papel”
Minha conta é comum
Meus amigos são simples
Meu namorado anda a pé
Meu dinheiro é curto
Minha casa é só um sonho
É duro meu ganha-pão
Estudo feito heroína
Meus pais são humildes
E eu sou feliz
Pois a felicidade
é assim...
Simples
Mas quando coloco meus pés
Na areia...
Eu sou só sorriso J


sábado, 21 de janeiro de 2017

Rouxinol

Sinto-me ridículo ao pensar
igual todo mundo pensa,
isto pode ser minha força,
mas também minha armadilha.
De qualquer forma tenho asas,
sou pássaro livre e engaiolado.
Quando me prendem, quero voar.
Quando me soltam, quero ficar.
Só não quero deixar a rebeldia,
mesmo quando estou em obediência.
Tenho para mim que os valores mudam
e que os sentidos enganam.
Quem pensa, pode ser escravo.
Quem não pensa, sempre será.
Quem pensa tem asas, apesar de preso,
em seus pensamentos pode voar...
Quem não pensa não tem asas, apesar de livre,
não pode cantar e nem dançar,
não pode sorrir e nem amar...
Sou pássaro nascido na natureza
pela mão divina.
Sou pássaro nascido em gaiola
pela mão malvada humana.
Não faço meu ninho em gaiola
para que a escravidão
não seja o destino dos meus filhos.
Voa menininha... voa....  vai fazer
seu ninho (escolhas) longe dos maus
e próximo ao céu.